top of page

O "poder" das sementes de Chia

Atualizado: 24 de mai. de 2023

Post elaborado pela nutricionista Ana Rita Lebreiro @nutripontocome


As sementes de chia entraram na alimentação dos portugueses e vieram para ficar! Não ache que são apenas um "alimento da moda" sem pouca importância nutricional, antes pelo contrário, o consumo frequente destas sementes é uma mais valia para a nossa saúde em geral.



Esta pequena semente preta tem uma quantidade considerável de fibra, cerca de 11g de fibra, por cada 28g de chia (duas colheres de sopa). A fibra encontrada nestas sementes é do tipo solúvel e insolúvel, sendo ricas em mucopolissacarídeos, daí aparecer aquele gel mucoso incolor quando são colocadas em contacto com algo líquido. Assim sendo, contribuem para o normal funcionamento do intestino, para a saciedade, para estabilizar a glicemia e para diminuir os níveis de colesterol LDL.


São a fonte vegetal com mais quantidade em ómega-3 (ALA) e a proteína presente nas mesmas (cerca de 4g de proteína, por 28g de chia) é de alto valor biológico, ou seja, possui todos os aminoácidos essenciais.


Em termos do outro macronutriente, as proteínas, 100g de sementes de chia conseguem fornecer 16,54g de proteína.


As sementes de chia são fonte vários minerais, de onde se destacam, o zinco e o cálcio. O zinco é um mineral fundamental para o bom funcionamento do sistema imunitário, para a actividade de mais de 300 enzimas, para a síntese proteica, para o metabolismo dos hidratos de carbono e gordura, para a normal função cognitiva, para a fertilidade, entre outras funções. Já o cálcio desempenha funções estruturais nos ossos e dentes, e é fundamental, por exemplo, para a contração muscular e transmissão de impulsos nervosos.


Como as utilizar? Em pudins de chia acompanhado por fruta e um pouco de granola Simplu (como pode ver pela foto), como topping em saladas, como ingrediente em bolos, smoothies ou panquecas.



Fontes consultadas/ Sources:


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page